Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sara in Wonderland

Ter | 25.02.14

D. Inês de Cas... que castigo! # 4

Andei uns tempos desaparecida, tanto aqui no blog como no facebook do próprio. Mas isto porque tenho andado de um lado para o outro, de hospital para casa por causa da operação da Marta (é consultas de rotina e mudança de penso, o bom é que a médica diz que aquilo está a sarar mais rápido que seria previsto, o que é maravilhoso). Além disso, admito que a minha criatividade não anda muito para lá virada. Quero escrever posts mas não sei o que escrever, e para estar a escrever porcaria prefiro nem o fazer. Mas o que interessa é que estou de volta, não! eu não desapareci « I'm a liveeeee», e vim cá deixar-vos só mais uma jóia da minha queria Inês que por vezes sai com umas bem jeitosas.
 
(Imagem - Quinta das Lágrimas)
 
Podia dizer que tudo começou « Numa bela manha (...)» mas não, pois estaria a mentir. Tudo começou numa tarde de chuva com a Inês pronta para ir à escola ver um teatro, ou como ela diz « O meu teatro». Porquê que é «O meu teatro»? É fácil, porque era o teatro de D. Pedro e D. Inês de Castro. Estava toda feliz por ir ver o teatro, a dizer que era a sua história e tudo mais e eu digo-lhe:
- É bom que não tenhas mesmo uma história daquelas, assim quem vai morrer primeiro e jovem és tu!. 
A rapariga olha para mim com um ar fuzilante mas depois mais doce:
- Pelo menos tenho uma história bonita e se morrer morri.
Olhei para ela e pensei « Coitada! Não sabe o que diz.» 
- Estás totó Inês! Preferia ficar bem viva. 
Pronto! Fiz asneiras a partir do momento e digo que ela é « Totó».
- Olha Sara! Totó aqui és tu, porque tu é que já te estás a esticar. 
 
Seguindo o seu raciocínio... está certo Totó = Elástico, Elástico = Estica. Certo, certo! Então ela é mesmo totó porque está sempre a esticar-se.
 
Volta do teatro, chateada com uma "tromba" de todo o tamanho.
- Então Inês? Gostaste da história?
- Achas? Aquilo eram crianças do 5º ano como eu a fazer o teatro. A professora dizia as falas e eles repetiam, que porcaria. Ia para lá e fazia melhor! E fui eu gastar 2,50€ para ver aquilo, preferia estar em matemática.
 
Para a Inês dizer que preferia ter matemática... a coisa era grave... muito grave!
É uma peste que sai-se com umas mesmo boas, dá para rir, mas por vezes admito que dá vontade de dar uma palmada virar costas e rir mais um pouco. 

Longa vida à princesa Inês (vénia)!

7 comentários

Comentar post